domingo, 31 de outubro de 2021

sábado, 30 de outubro de 2021

Hoje na História do Depeche Mode : SOFAD | The 12" Singles - Box Set

Hoje na História do Depeche Mode (30 de outubro de 2020) :

Data de lançamento do SOFAD | The 12" Singles - Box Set, no Reino Unido.

SOFAD | The 12" Singles, é um box de luxo de edição de colecionador, contém oito discos de vinil de 12" apresentando os quatro singles - I Feel You, Walking In My Shoes, Condemnation, e In Your Room - com b-sides, mixagens e gravações ao vivo para o oitavo álbum de estúdio do Depeche Mode, Songs Of Faith And Devotion, originalmente lançado em 22 de março de 1993.

Inclui também a réplica do poster de divulgação de Walking In My Shoes.

Cada box set da série contém os singles de cada álbum do Depeche Mode em vinil com audiophile-quality de 12", com áudio extraído das fitas originais. 

A arte para o exterior de cada um dos conjuntos de caixas se baseia na iconografia inspirada nos lançamentos originais, enquanto as próprias capas de vinil apresentam a obra de arte original. 

A Série de Singles do Depeche Mode 12" continuará nos próximos anos, com planos de lançar caixas contendo os singles de cada um dos álbuns da banda em edições de colecionadores de audiophile de luxo similares.





















Tracklist :

I Feel You 12" - Side 1

I Feel You (Throb Mix)

I Feel You (Seven Inch Mix)

I Feel You 12" - Side 2

I Feel You (Babylon Mix)

One Caress


I Feel You limited 12" - Side 1

I Feel You (Life's Too Short Mix)

I Feel You (Swamp Mix)

I Feel You limited 12" - Side 2

I Feel You (Renegade Soundwave Afghan Surgery Mix)

I Feel You (Helmet At The Helm Mix)


Walking In My Shoes 12" - Side 1

Walking In My Shoes (Grungy Gonads Mix)

Walking In My Shoes (Seven Inch Mix)

Walking In My Shoes 12" - Side 2

My Joy (Seven Inch Mix)

My Joy (Slow Slide Mix)


Walking In My Shoes limited 12" - Side 1

Walking In My Shoes (Extended Twelve Inch Mix)

Walking In My Shoes (Random Carpet Mix)

Walking In My Shoes limited 12" - Side 2

Walking In My Shoes (Anandamidic Mix)

Walking In My Shoes (Ambient Whale Mix)


Condemnation 12" - Side 1

Condemnation (Paris Mix)

Death's Door (Jazz Mix)

Condemnation 12" - Side 2

Rush (Spiritual Guidance Mix)

Rush (Amylnitrate Mix - Instrumental)

Rush (Wild Planet Mix - Vocal)


Condemnation limited 12" - Side 1

Condemnation (Live)

Personal Jesus (Live)

Condemnation limited 12" - Side 2

Enjoy The Silence (Live)

Halo (Live)


In Your Room 12" - Side 1

In Your Room (Zephyr Mix)

In Your Room (Apex Mix)

In Your Room (The Jeep Rock Mix)

In Your Room 12" - Side 2

Higher Love (Adrenaline Mix)

In Your Room (Extended Zephyr Mix)


In Your Room limited 12" - Side 1

In Your Room (Live)

Policy of Truth (Live)

World In My Eyes (Live)

In Your Room limited 12" - Side 2

Fly On The Windscreen (Live)

Never Let Me Down Again (Live)

Death's Door (Live)

Ótima reedição, pois são singles da época da transição vinil para cd, fazendo com que esses 12'' sumissem muito rapidamente...

Faith & Devotion !!!

JeanBong13

História Do Depeche Mode : Martyr (Single)

Hoje na História do Depeche Mode (30 de outubro de 2006):
Data de lançamento do single de Martyr, no Reino Unido.


"Martyr" é o 45º single do Reino Unido, para o Depeche Mode.
Foi lançado como um single inédito para promover o álbum de compilação de hits da banda, The Best Of, Volume 1.
O single foi lançado em 30 de outubro de 2006 em três formatos: CD single, CD maxi e DVD single. Houve também uma edição limitada em 7'' Picture Disc e um 12'' single (L12BONG39).
A canção, originalmente intitulada "Martyr for Love", é uma sobra de estúdio do album "Playing The Angel". 
A canção foi mencionada em um dos Fletchcam Vídeos (onde pode ser levemente ouvida tocando no fundo), e foi mencionada em entrevistas. 
O programador Dave McCracken disse que foi considerado pela banda como o primeiro single para o "Playing the Angel", mas não a lançaram devido ao seu som pop, quando comparado com outras faixas do álbum.
O single tornou-se o 35º do Depeche Mode a chegar ao Top 20 do Reino Unido.
Um vídeo estava sendo dirigido por Andreas Nilsson, que teria sido contratado porque Dave Gahan ficou impressionado com seu vídeo para The Knife's "Silent Shout". 
O vídeo foi feito em Gotemburgo, Suécia, e os membros do grupo não aparecem nele.
A banda posteriormente rejeitou este vídeo, que foi substituído por uma montagem de vídeo lançada em 8 de outubro de 2006 e dirigida por Robert Chandler, em que Dave Gahan aparentemente canta a canção, esta sendo alcançada pela sucessão de clipes curtos do Depeche Mode em que Dave quer dizer as palavras apresentadas na letra de "Martyr", o que significa que seus lábios se movem de forma semelhante as palavras das letras que estão sendo ditas. 
O clipe não aparece no DVD em sua compilação Best Of.
Sendo lançado na época, no formato "Dvd Single".

















Martyr foi a faixa inédita, para a coletânea : The Best Of (Volume 01), lançada em 13 de novembro de 2006.
Excelente Coletânea. 
Faith & Devotion !!!
JeanBong13

sexta-feira, 29 de outubro de 2021

História Do Depeche Mode : Blasphemous Rumours / Somebody (Single)

Hoje na História do Depeche Mode (29 de outubro de 1984):
Data de lançamento do single de Blasphemous Rumours / Somebody, no Reino Unido.


"Blasphemous Rumours"/"Somebody" é o décimo segundo single do Depeche Mode no Reino Unido e primeiro single double A Side, (duas faixas de divulgação, num mesmo single) lançado em 29 de outubro de 1984.
Ambas as músicas são do album Some Great Reward.
"Somebody" é o primeiro single com Martin Gore nos vocais.
Os versos de "Blasphemous Rumours" descrevem uma menina de 16 anos que tenta suicídio, mas falha. Ela experimenta um renascimento religioso, mas é morta em um acidente de carro aos 18 anos. 
O refrão usa esses incidentes para concluir, "Eu não quero começar qualquer rumor blasfemo / mas eu acho que Deus tem um senso de humor doente / e quando eu morrer, espero encontrá-lo rindo".
Como outras canções em Some Great Reward, a canção usa um som denso com ampla percussão de amostra.
Quando o Depeche Mode anunciou que eles estavam planejando lançar "Blasphemous Rumours" como um single, tiveram um grande empecilho da comunidade religiosa resultou e, conseqüentemente, a banda decidiu como um compromisso, lançar o single como um double-A side com "Somebody".
"Somebody" foi cantada por Martin Gore no estúdio nu, para que conseguisse uma versão mais intimista possível, inclui uma das reviravoltas de Gore, onde a música se constrói como se fosse uma canção sobre encontrar seu amor perfeito, apenas para revelar no final "embora coisas como esta me deixar doente / em um caso como este eu escaparei disso."
Ainda sobre "Somebody" :
Martin L Gore:
"Para mim, a música tem que ser parcial e não  contar toda a história. Por isso, dei uma reviravolta, no final de ‘Somebody’. Você pode achar que sou um pouco cínico, quando falo de amor nas minhas músicas e, posso até ser! Os relacionamentos têm um lado sombrio e, gosto de escrever sobre isto."
Em 1989, durante a divulgação do lançamento do 101, em uma entrevista pra a revista Best da França,  Martin declarou : "Eu não gosto mais desta música! A maioria das minhas musicas, não são tão ingênuas..  Normalmente as arranjo, de tal forma que, elas mudam de forma inesperada, em algum ponto...Prefiro que contenham dúvidas e as descarto, quando não há possibilidade, de que em um relacionamento amoroso, algo dê errado.."



Os vídeos das duas músicas foram dirigidos por Clive Richardson.
As faixas ao vivo do EP, foram gravadas no the Empire Theatre, Liverpool, em 29 de setembro de 1984.








"Blasphemous Rumours" foi principalmente inspirado na época em que Andy e Vince frequentavam regularmente a igreja e Martin, que não era um cristão praticante e simplesmente costumava ir junto com seus amigos. 
Para ele, algumas coisas como a chamada "lista de oração" eram engraçadas, então ele escreveu sobre elas da maneira irônica de sempre :
"Nunca fui um cristão praticante e, quando você não está envolvido nisto, realmente percebe a hipocrisia e o lado engraçado das coisas..
Algo que cito com frequência, é a chamada: "lista de orações"! Todas as semanas, eles oravam pelas pessoas gravemente enfermas e, pela maioria das pessoas que, mesmo assim, morreriam...Dizendo que; "era a vontade de Deus" e: "Foram para um lugar melhor". Isto parece muito ridículo e engraçado, ao mesmo tempo...Embora eu saiba que, muita gente vai discordar.."
A banda deveria saber que algumas pessoas ficariam aborrecidas com suas observações. 
Até Andy ficou bastante ofendido quando ouviu a demo de Martin. 
Quando Martin L Gore mostrou, pela primeira vez, 'Blasphemous Rumours' e "Master and Servant" a Fletcher, este teve dificuldades em compreender as duas músicas.
Andy participou de um grupo chamado: "The Boys Brigade", quando ele ainda era criança. 
Tal grupo era muito parecido, com um grupo paroquial...


Alan e Dave tentaram defender as idéias de Martin: "A religião é um assunto mais sensível que o sexo. É preciso ter cuidado com isso. Nessa música, ela é tratada com bom gosto", disse Alan; 
Dave: "'Blasphemous Rumours' não é realmente uma música anti-religiosa. 
É claro que é uma declaração pessoal da parte do Martin." 
Dave Gahan:
"Todo este 'furor' foi causado, pela simples inclusão da palavra "blasfêmia", no título...Na verdade, recebemos uma boa resposta das associações cristãs. Que nos disseram que entenderam, o que tentamos expressar."
Alan Wilder, 1984:
"A religião é um assunto mais delicado do que o sexo.  Você tem que ter cuidado, ao abordá-lo.. Tenho assistido programas de televisão religiosos norte- americanos...Se alguém está doente, está! Tudo o que cantamos, é inofensivo, se comparado a estes programas. Os norte- americanos que reclamam de nós, deveriam reclamar destes programas!"
Martin L Gore, 1984:
"As pessoas pregam demais, até em Basildon, sabia? Elas se apegam à religião, mais por medo da morte. Não é ruim ser religioso..E acho que seria mais feliz, se acreditasse."
Andrew Fletcher, 1984:
"Eu me afastei da religião, porque estava levando uma vida muito chata! Eu queria viver ela, ao máximo e pensei: Se eu morrer amanhã, minha vida foi assim..."
No entanto, a BBC e várias estações de rádio se recusaram a tocar a música.
Martin L Gore: “Uma música de amor pode ser completamente descartável ou pode soar verdadeira. Algumas pessoas tendem a pensar que as canções de amor não devem ser tratadas com seriedade, e é apenas se você está escrevendo sobre problemas sociais que uma música se torna grave.” 
No entanto, mais tarde ele confessou:“ Eu simplesmente não posso escrever uma música pop convencional. Uma música agradável para mim está inacabada; não está contando a história completa! 
Você pode dizer que sou cínico sobre o amor nas minhas músicas e, talvez eu seja, mas acho que esse é um ângulo interessante. Caso contrário, você se tornará mundano como a maioria das músicas nas "paradas".





Fontes: 'Depeche Mode gains fans, despite its crítics', Times Staff Writer, março de 1985; 'Blasphemy Rewarded', Melody Maker, setembro de 1984; 'Stripped' de Jonathan Miller; “Black Celebration”, de Steve Malins, Entrevista no Radio WLIR, junho de 1986; Wikipedia; Veronica Bussadori (citação dos textos).

Nem preciso dizer o quanto eu "amo" esse single...
Eterna paixão por Somebody.
Faith & Devotion !!!
JeanBong13