terça-feira, 20 de julho de 2021

História Do Recoil : A Strange Hour In Budapest (Blu-Ray)

Hoje na História do Recoil (21 de julho de 2012):

Data de lançamento do Blu Ray do Recoil - A Strange Hour In Budapest


A edição digipack limitada preto e branco, esgotou rapidamente.

Dirigida e editada por Átila Herkó, esta Red Edition de 'A Strange Hour In Budapeste', nesta segunda,  "red edition" mais padrão tem uma embalagem um pouco mais simples - sem digipack, mas sim um estojo preto clássico com arte de capa alternativa, incluindo o livreto de 16 páginas repleto de informações e manipulações de fotos por Ákos Szénási. 

O conteúdo do disco será exatamente o mesmo, com filmes promocionais extras e projeções ao vivo.

Rever a música do RECOIL não é uma tarefa comum...

Primeiro por causa da relação emocional entre o Alan Wilder e seus fãs. Tanta coisa aconteceu desde o primeiro projeto do Recoil no final dos anos 80, tanto em seu papel no Depeche Mode até 1995 quanto na evolução de seu trabalho solo.

Embora ele regularmente lançasse álbuns desde sua saída do DM, ele estava trancado em seu estúdio e as chances de vê-lo ao vivo um dia eram pequenas.

Então, quando de repente o projeto 'Selected' foi anunciado em 2009 (uma compilação trabalhada em versões e remixes inéditos, turnê...) a alegria era imensa.

Este não foi um show "ao vivo" real com músicos e assim por diante, mas o conceito foi interessante e promissor: Alan Wilder, Paul Kendall, dois laptops e um par de teclados, uma tela gigante para projeções visuais... e funcionou muito bem.

 Apesar de não ter performances ao vivo, houve mais mudanças e diferenças entre cada show do que em uma turnê do Depeche Mode.

Em constante evolução, a "Strange Hours Tour" estava perto de um set de Dj Electro.

O show abrange tanto seu próprio trabalho ('Prey', 'Want', 'Drifting', 'Allelujah' para citar alguns), alguns remixes do Depeche Mode ('Never Let Me Down Again', 'In Your Room', 'Walking In My Shoes', 'Personal Jesus') e algumas outras peças interessantes como 'Warm Leatherette' e 'Are Friends Electric?' ...

Inútil dizer que quando a linha Aggro Mix Bass-line de 'Never Let Me Down Again' aparece no final de 'Killing Ground', a multidão vai à loucura!

Alan Wilder até encoraja o público aqui e ali...

Há um convidado especial, o amigo de longa data e colaborador Douglas McCarthy do Nitzer Ebb em Faith Healer.

No geral, esta trilha sonora de 80 minutos é uma viagem aprofundada  na carreira mais criativa do músico.

Essencial para todos os fãs, e uma maneira muito boa de pessoas curiosas descobrirem seu trabalho.

Todas as faixas são distorcidas e retrabalhadas o suficiente para ter uma sensação ao vivo e interesse, mas apenas o suficiente para não fazê-lo soar como um conceito intelectual inacessível.

A qualidade da imagem também é impressionante.

Como bônus, 3 vídeos promocionais de 'Prey', 'Want' e 'Allelujah' bem como 16 minutos de projeções de vídeo usadas durante o show ao vivo.

A única desvantagem do projeto é que nenhum DVD está disponível para aqueles que não possuem um BluRay... e ainda há muitos deles...

Tracklist :

01. Intro

02. Prey

03. Want

04. Drifting

05. Allelujah

06. Killing Ground

07. Never Let Me Down Again

08. In Your Room

09. Uranokemia

10. Warm Leatherette

11. Heartbeat Interlude

12. Stalker

13. Faith Healer

14. Shunt

15. Jezebel / Walking In My Shoes / Are Friends Electric?

16. Personal Jesus

Bonus:

PROMOTIONAL FILMS Running time : 21 minutes

WANT (Renegade of Noise 808 remix)

PREY (Shotgun mix)

ALLELUJAH (subHuman album version)

Additional Information

A Strange Hour in Budapest - Running time: 84 minutes

Directed by: Attila Herkó

PROMOTIONAL FILMS Running time : 21 minutes

Directed by : Dmitry Semenov

LIVE PROJECTIONS - Running time : 16 minutes

Line-up : 

Alan Wilder – Keyboards & Machine

Paul Kendall – Keyboards & Machine







Excelente Show !
Faith & Devotion !!!
JeanBong13



Nenhum comentário:

Postar um comentário