quinta-feira, 17 de outubro de 2019

Depeche Mode : Show da Argentina 17 10 2009 !!!

Devotos, continuando com textos de shows do Depeche Mode que marcaram a nossa memória, aqui segue um novo texto (e novas fotos) para o show da Argentina/2009 :



Muitos Devotos brasileiros de toda parte realizaram o grande sonho de ver Depeche Mode ao vivo há pouco mais de um ano, em São Paulo. Um show inesquecível.
Alguns de nós, entretanto, tiveram essa oportunidade na Argentina, no ensandecido Club Ciudad de Buenos Aires.
Incrível pensar que já fazem 10 anos.
Esse show e o dia 17 de outubro de 2009, um belo sábado de sol, sempre voltam a minha memória, em mínimos detalhes.
Os passeios da manhã, o almoço sem nem conseguir engolir direito, pra chegar cedo ao Club Ciudad, por volta das 16h. E muitos chegaram bem antes.
E por chegar cedo ficamos muito próximos do palco. À direita da passarela devia ter só brasileiro. Pelo menos até começar aquela onda ensandecida e estúpida que só argentino sabe fazer, estávamos todos em casa, como velhos amigos.




Eu não me esqueço o que eu senti em cada música. Do pânico pré-show que se tornou insuportável em Hole To Feed, e me obrigou a recuar uns 10 metros. E mesmo assim sem tirar o olho do palco, sem conseguir nem piscar nem respirar, desde In Chains e Wrong. Da alegria que eu senti quando vi o Dave olhar pro Martin e sorrir após o primeiro refrão de Walking In My Shoes, embaixo daquele corvo. Nesse momento tudo se tornou verdade. Era Depeche Mode, finalmente na minha frente. Lágrimas começaram a correr sem controle e não pararam até o final. It’s No Good foi apenas uma consequência, até um êxtase inexplicável em A Question Of Time. Precious e Fly On The Windscreen me permitiram respirar e tentar entender o que parecia incompreensível: Depeche Mode, na minha frente, ao vivo.




Então vem o Martin cantar Jezebel, com direito a passeio pela passarela no final. Mas Home na sequência, ao piano, se tornou o momento mais lindo do show, até então. É impressionante como a voz do Martin ecoava na alma. Cada vez mais incrédulo, eu chorava copiosamente. Hoje é até engraçado pensar nisso. No final cantamos o ‘sing along’ mais longo e mais forte do universo.



A verdade é que Miles Away permitiu que nos preparássemos pra segunda parte. Christian começa a tocar Policy Of Truth e o Dave sai dançando pro nosso lado. Velhos acordes que finalmente são executados com perfeição. O som era desde o início limpo, cristalino, apesar de cerca de 30 mil pessoas cantarem todas as músicas. E isso os argentinos fazem muito bem (mas nós ajudamos). In Your Room vem na sequência, com sua versão mista entre original e Zephyr Mix, pra chegar em I Feel You, onde o Dave força os vocais até o extremo.
A sequência com Enjoy The Silence é mais um momento de êxtase completo. Entre lágrimas e um sorriso constante, é de uma felicidade boba que dificulta até a cantar. Mas nada, absolutamente nada, supera o prazer de finalmente fazer a onda em Never Let Me Down Again. É uma catarse coletiva, cerca de dois minutos ou uma vida inteira com toda força na ponta dos dedos, sem parar. Com Dave a... sei lá, 10 metros de distância, na ponta da passarela. De se fazer com lágrimas nos olhos, um sorriso aberto e berrar, berrar qualquer coisa. É libertador.




No final eu abraçava minha esposa e só conseguia dizer repetidas vezes “não acredito, finalmente aconteceu, é incrível”. E tinha mais.
O Martin volta pra cantar Somebody. Momento ‘101’, e tudo que senti em Home voltou, com o dobro da força. Nesse momento tive que guardar a máquina fotográfica (sim, os celulares ainda eram ruins), por que não conseguia parar de tremer. Nunca imaginei que pudesse produzir tanta lágrima. Stripped chegou até a ser leve depois disso.




Mas estamos falando da realização do sonho de uma vida inteira. E uma realização desse porte tem que terminar pra cima. Behind The Wheel, com o Dave mais uma vez na passarela, se encarrega disso, e Personal Jesus é o momento de aproveitar e gritar bem alto “Reach Out And Touch Faith” quantas vezes forem possíveis, por que é assim que uma noite épica é coroada.











Passados 10 anos, ainda é uma lembrança tão boa e tão nítida que eu espero que todos os devotos que não estiveram na Argentina em 2009 tenham sentido o show do Allianz Park em 2018 dessa forma, por que o dia 17 de outubro de 2009 foi a realização plena de um sonho, com som imagens perfeitos produzidos pela maior banda do universo.

Texto do Amigo Domingos !
Um Grande Show ! E encontrar e se reunir com os amigos na Argentina, foi muito bom, uma viagem e um show prá ficar na memória !!!

Fotos de : Domingos - Eli Proença - JeanBong13 (e se tiver de outras pessoas, por favor indiquem, que eu menciono aqui).

Faith & Devotion !!!
JeanBong13

Nenhum comentário:

Postar um comentário