terça-feira, 14 de julho de 2020

Depeche Mode e as Drogas, os difíceis anos de reabilitação.

A idéia dessas "matérias mais pesadas", não é querer denegrir a imagem do Dave ou do Martin, não é mostrar apenas o "lado ruim" das drogas, mas sim, o "lado positivo" do "ser humano", em sua vontade de querer viver, de se reabilitar, de ficar "limpo" e voltar a ter uma vida tranquila e saudável, superar essa fase / dificuldade de um "mal" que atormenta e atinge a muitas famílias...


São matérias para incentivar aos fãs do Depeche Mode que estão em uma situação parecida ou que sabem de alguém que está passando por isso, que você tem que tentar, tem que se esforçar, que você pode conseguir...
Cito aqui uma frase atribuída a John Lennon :
"O sonho acabou, vamos encarar a realidade. Não se drogue por não ser capaz de suportar sua própria dor. Nenhum lugar fará você se sentir um homem. Eu estive em todos os lugares e só em encontrei em mim mesmo".


Vamos aqui, falar um pouco sobre o alcoolismo do Martin L. Gore...
A turnê aparentemente interminável do Depeche Mode entre 93 a 94, causou danos a Dave Gahan, mas também foi difícil para Martin L. Gore...


De acordo com Alan Cross, em seu livro, "Depeche Mode: The Secret History", (lançado em 2012), Gore já havia sofrido ataques de pânico, mas aumentou a um ritmo alarmante, enquanto viajavam de cidade em cidade, durante a Devotional - Exotic Tour.


Em uma reunião de negócios, em Los Angeles, Martin sofreu uma grande convulsão e precisou ser hospitalizado imediatamente!
Os médicos na época, atribuíram tal 'crise', aos anos de estresse, drogas e consumo excessivo de álcool...
E Martin lutou muito contra a dependência do álcool:
"Eu fui um alcoólatra em potencial durante anos! E sabia desde muito novo, que tinha problemas com a bebida", disse ele ao 'The Guardian'.
"Era encorajador para os astros do rock, ficar 'fora de controle'!
E eu sabia que tinha ficado 'fora de controle', quando meu café da manhã consistia em duas vodkas duplas!"
Durante a The Singles Tour, em seus momentos de descanso pelos hotéis, Martin sempre se dirigia aos bares onde estava hospedado, e fazia alguns shows no piano, em geral, com muita bebida.
Viraram noites históricas, que renderam cds bootlegs, chamados de "Hotel Session"...


Embora nenhum show tenha sido cancelado por causa do vício, seu consumo aumentou, enquanto gravava "Playing the Angel" de 2005 e ao mesmo tempo, enfrentava seu processo de divórcio..
Gahan lembrou que Gore foi a várias sessões de gravação, "um pouco bêbado", mas depois que o álbum terminou, Martin procurou ajuda e tratamento profissional.




Paralelo a isso, no dia 09 de julho de 1996, Dave Gahan compareceu perante o tribunal da cidade de Los Angeles, onde, graças à ajuda de vários conhecidos, foi emitida uma fiança de US $ 10.000, permitindo que Gahan não fosse preso.


Mas algumas coisas haviam mudado: o juiz decidiu que Gahan teria que passar por um processo de desintoxicação, passando por vários testes periodicamente (durante 2 anos, 2 testes de urina por semana), e se alguma substância proibida fosse encontrada, ele seria imediatamente enviado para a prisão!

(Revista Bizz em Julho de 1996)

As autoridades dos EUA, negaram sua entrada no país, a menos que ele estivesse sem substâncias, então Dave entrou na mesma clínica em que Kurt Cobain foi hospitalizado, no programa de reabilitação Exodus...
Embora tenha sido um processo difícil, ele o superou refugiando-se na música e mantendo-se limpo de drogas e álcool.
(Revista Bizz em Março de 1997)

Foi um novo começo e então Dave se reuniu com Gore e Fletch para descobrir o que seria, o álbum de renascimento: "Ultra".

Idéia do Texto : Veronica Bussadori
Edição, revisão e complementos : JeanBong13

Faith & Devotion !!!
JeanBong13


Nenhum comentário:

Postar um comentário