quinta-feira, 14 de janeiro de 2021

História Do Dave Gahan : "Saw Something" e "Deeper and Deeper" (Single)

Hoje na História do Dave Gahan (14 de janeiro de 2008):

"Saw Something" e "Deeper and Deeper" são canções interpretadas pelo cantor Dave Gahan, do Depeche Mode, co-escrito e coproduzido por Gahan, Andrew Phillpott e Christian Eigner para o segundo álbum solo de Gahan, Hourglass de 2007. 

As músicas foram lançadas como um single duplo A-side em 14 de janeiro de 2008. 

"Saw Something" apresenta a guitarra do ex-membro do Red Hot Chili Peppers, John Frusciante. 

A canção foi usada no trailer do filme obsessed de 2009.

Trailer Obesessed : https://www.youtube.com/watch?v=bXk6H17Ecjw

Video clipe de Saw Something : https://www.youtube.com/watch?v=oT1TLa0ucUM

Já "Deeper And Deeper", foi apresentada numa performance para o "Spinner Studios Session", em Nova Iorque em outubro de 2007.

Performance de Deeper And Deeper (Spinner Version) : https://www.youtube.com/watch?v=g8qiDilNI9A






Formatos :

Estes são os formatos  dos principais lançamentos comerciais individuais de "Saw Something" e "Deeper and Deeper". 

O CD europeu e o LCD diferem apenas na embalagem (tem as mesmas faixas), sendo o CD uma caixa slim acrílica, e o LCD é em digipack.

European CD single

(CD MUTE 398 / LCD MUTE 398; Released January 14, 2008)







European 7" picture disc

(MUTE 398; Released January 14, 2008)





European 12" vinyl single

(12 MUTE 398; Released January 14, 2008)




Digital download

(Released December 10, 2007)


Excelente single do Dave !

Fonte : Wikipedia & JeanBong13

Faith & Devotion !!!

JeanBong13













quarta-feira, 13 de janeiro de 2021

História do Dave Gahan : Humanist feat Dave Gahan - “Shock Collar” (Digital Single)

Hoje na História do Dave Gahan (13 de janeiro de 2020):

Data de lançamento do single digital do Humanist Feat. Dave Gahan : Shock Collar.

Produzido por Rob Marshall, o projeto Humanist, conta com os vocais de: Dave Gahan, Mark Lanegan, John Robb, Mark Gardener, entre outros.

A música "Shock Collar" foi escrita por Mark Lanegan, mas os vocais  acabaram sendo concedidos a Dave Gahan, que ficou muito animado com esta colaboração: “É ótimo trabalhar com pessoas assim, porque elas te estimulam”, disse ele à NME." Já fazem 40 anos, que trabalho com música e estou sempre procurando alguém que me tire da zona de conforto.Isso me torna melhor no que faço, a longo prazo. Aprendo muito com pessoas,  com novas ideias". 

“Gostei da ideia imediatamente … É animal! Eu fiz o vocal, com o visual de um piloto veloz em uma estrada vazia … Filmamos o vídeo durante alguns dias em Nova York, e tudo se encaixou”.

Marshall: “Ele é um frontman incrível, com uma voz e presença únicas; além de muito humilde, gentil e generoso."

O videoclipe foi filmado alguns dias em Manhattan e no Brooklyn, em setembro de 2019.








Dave foi filmado no BAZA Studio."Quando gravamos o vídeo", disse Rob à NME, "ele trabalhou muito durante todo o dia e se dedicou incansavelmente o tempo todo." 

vídeo : youtu.be/A-X_TWVKfKI

A faixa tem uma sonoridade eletrônica que lembra as músicas dos anos 80.

O clipe foi gravado em Nova York e é assinado por Derrick Belcham e Tracy Maurice.

Essa música fará parte do primeiro album do Humanist, a ser lançado em 21 de fevereiro de 2020.



"Foi um prazer ser convidado para esse projeto do Rob", disse Dave em um comunicado de imprensa.







Fontes: Comunicado de imprensa do Humanist; Interview with Rob marshall, Music Radar;  "Depeche Mode's Dave Gahan on new collaboration and his 2020 plans; NME.

Texto : Veronica Bussadori & JeanBong13.

Faith & Devotion !!!

JeanBong13

domingo, 10 de janeiro de 2021

História Do Depeche Mode : In Your Room (Single)

Hoje na História do Depeche Mode (10 de janeiro de 1994):
Data de lançamento do single de In Your Room, no Reino Unido.
É o quarto e último single a ser lançado para divulgação do album "Songs Of Faith And Devotion".
É o trigésimo single do Reino Unido, lançado em 10 de janeiro de 1994 e 18 de janeiro nos EUA. 
Alcançou #8 na Uk Singles Chart.
A versão single comum de "In Your Room", o "Zephyr Mix", é radicalmente diferente da versão original do álbum. 
A música é completamente refeita por Butch Vig, conhecido por trabalhar com o Nirvana. 
Outros remixes oficiais incluem o "Apex Mix", produzido por Brian Eno, que soa mais perto da versão do álbum e "The Jeep Rock Mix", de Johnny Dollar, que aparece no Remixes 81 - 04.
O videoclipe de In Your Room (usando um a faixa Zephyr Remix) foi dirigido por Anton Corbijn e apresenta referências a alguns vídeos antigos, sendo :
Strangelove (uma modelo posando em sua cueca), 
I Feel You (uma mulher vestida como Dave Gahan, vestindo um terno listrado, óculos de sol e uma peruca), Walking in My Shoes (o traje de pássaro), 
Halo (as pessoas usando maquiagem de palhaço), 
Enjoy the Silence (uma mulher vestida de rei, segurando a cadeira dobrável enquanto caminhava na estrada),
Personal Jesus (uma mulher usando um chapéu de cowboy como os membros da banda fizeram),
Condemnation (o vestido branco com fitas que uma das mulheres usa)
e Never Let Me Down Again (bebendo chá). 
Corbijn descreveu o vídeo como uma retrospectiva do trabalho que ele tinha feito com Depeche Mode. 
Ele disse que fez dessa forma, porque ele não tinha certeza se ele ia fazer outro vídeo com o Depeche Mode depois. 
Mais tarde ele afirmou que este vídeo foi feito durante a ascensão de problemas da banda por isso era incerto se a banda ainda existiria para outro vídeo a ser feito.
O vídeo apresenta Alexandra Kummer, que às vezes está parcialmente vestida. 
Por causa da nudez parcial e cenas de escravidão, o vídeo só foi ao ar após o horário nobre na MTV nos EUA. 
Este é o último single do Depeche Mode com Alan Wilder como membro da banda, e o último vídeo musical em que ele aparece.





O single foi lançado em um digipak dobrável especial com espaço para segurar três versões diferentes do single "In Your Room": o lançamento original (CDBong24), um disco ao vivo (LCDBong24) e um disco remix (XLCDBong24). Formando então, um formato de cruz, com o desenho do Dave Gahan.  Os b-sides consistem em um remix da faixa do álbum "Higher Love", juntamente com algumas músicas ao vivo da Devotional Tour.








Excelente Single, ótimo remix !!!
Faith & Devotion !!!
JeanBong13

sexta-feira, 8 de janeiro de 2021

Martin L Gore foi recentemente entrevistado pela revista tcheca, Deník Právo.

A capa do seu novo EP, 'The Third Chimpanzee' foi pintada por um macaco. Como você encontrou o pequeno macaco artista?

MG: Tive esta ideia numa noite, quando estava deitado na cama. Eu pensei por um longo tempo, sobre como a foto do álbum deveria ser. Então lembrei de ler artigos sobre macacos que pintavam e comecei a pesquisar no Google.  Finalmente encontrei um macaco chamado, Pockets Warhol e encontrei o abrigo onde ele mora. Eu mandei um e-mail lá, explicando quem eu era e o que estava fazendo, e perguntei se eles tinham interesse em pedir a Pockets para pintar algo para mim. Eles ficaram animados com a proposta e deu certo! Eu fiquei muito feliz!

Você escolheu uma pintura da coleção dele ou Pockets pintou algo especificamente para você?

MG: Eles o deixaram criar cinco pinturas diferentes para mim. A mulher que o ajuda, me perguntou quais cores eu gostaria de usar e as preparou para sua paleta.  Ele pintou em telas brancas e pretas, no final escolhi uma foto com fundo preto para o álbum.

O resultado parece que foi ótimo.

MG: Sim, acho ele incrível!

Todo o tema do macaco, que acompanha o álbum, veio da maneira como você ajustou seus vocais nele. Você pode nos contar como eles soavam antes de serem editados?

MG: A primeira faixa que gravei, foi 'Howler' e os vocais soaram um pouco como um grito de blues, no começo. Depois que adicionei um som sintético, senti que não parecia mais humano. Parecia mais que vinha de um primata. É por isso que escolhi o titulo Howler para a música.

Quando trabalhei no próximo, achei melhor manter o conceito por todo o EP e ressintetizar todos os vocais.  Isso me deu a ideia de nomear cada música com o nome de um macaco.

Você pegou todas essas espécies da memória?

MG: Às vezes, eu vou para a Costa Rica e lá, há gritos por toda a parte! É por isso que o macaco veio à minha mente primeiro. Pockets Warhol, meu macaco artista, é um macaco capuchinho.

No ano passado, você disse que não esperava gravar uma nova música solo logo, porque queria cuidar dos seus filhos.  Você também disse, que passar o ano todo em casa, não é muito inspirador. O que acendeu a centelha, que deu origem ao novo EP?

MG: Fui ao estúdio todos os dias, o que me ajudou muito a me manter são, durante a pandemia. E quando você começa a trabalhar todos os dias, você encontra sua inspiração. Ela está te esperando em algum lugar, e quando você a procura, ela aparece de repente!

Cinco anos atrás, após o lançamento de MG, você disse que gostou tanto de trabalhar nele, que poderia compor indefinidamente. Você sentiu o mesmo desta vez?

MG: Gosto de estar no estúdio todos os dias. Também trabalho em outros projetos, porque simplesmente gosto do que eu faço. Como eu sempre digo, se não existisse a música, não sei o que faria da minha vida! Não há muitas outras coisas, que me dão tanto prazer.. A música sempre foi a minha paixão.

Mas você também parece ser um leitor ávido. O EP leva o nome do livro, e não é a primeira vez que você menciona que se inspirou na literatura.  Você leu algo que o intrigou ultimamente?

MG: Estou lendo um livro chamado, 'Breasts and Eggs'. Desculpe, não me lembro o nome do autor japonês (Mieko Kawakami, nota do editor). Eu o recomendo para você. Adoro quando um livro me envolve.

Você fala sobre a composição, como uma atividade muito particular. O que você acha da tendência atual, de co-composição, onde mais de dois ou três autores costumam participar de uma música?

MG: Essa é apenas uma maneira diferente de trabalhar. Sempre achei que não iria gostar de trabalhar com outras pessoas, mas honestamente falando, comecei a trabalhar com um dos meus amigos recentemente, e estou gostando bastante. Mas somos apenas dois e nem mesmo trabalhamos juntos na mesma sala.  Enviamos ideias um para o outro.

Você pode falar mais sobre essa colaboração?

MG: É algo em que começamos a trabalhar, quando o mundo parou de girar! Nós apenas pensamos em escrever algumas músicas juntos.  No momento, não temos ideia de como ou quando iremos liberá-las. É apenas nosso pequeno projeto divertido.

No ano passado, você e o Depeche Mode foram incluídos no Rock & Roll Hall of Fame. Em seu discurso, Charlize Theron disse que sua música é a trilha sonora de sua vida e a acompanhou em muitos momentos importantes dela.  Milhões de fãs compartilham seus sentimentos. Você está ciente desse poder?

MG: Sempre fico comovido, quando ouço esse tipo de declaração.  Muitos fãs que encontro nas ruas, me dizem a mesma coisa! Ouço isso toda a hora. Muitas pessoas vêm até mim, e dizem que até salvamos suas vidas! E isto acontece com frequência!

A introdução no Rock and Roll Hall of Fame aconteceu online. O que você achou?

MG: Nós gostamos tanto quanto a conferência de zoom pode ser aproveitada. Não levamos muito a sério.  Ficamos satisfeitos com o prêmio, que é muito importante significa na América. Crescemos na Inglaterra, e eu cresci ouvindo muito rock and roll. Ouvia os discos da minha mãe, e agora pertenço ao mesmo clube, de alguns dos músicos que escuto desde a infância. Me sinto muito honrado.

E sobre o fato de que a pandemia paralisou o mundo, no 40º aniversário do Depeche Mode?

MG: Acima de tudo, lamento muito isto ter acontecido. Foi uma experiência terrível para o mundo inteiro. Tenho esperanças que vacina funcionará e nos livraremos desta doença. Parece promissor, então espero que seja possível planejar algo em breve, porque foi impossível este ano..

A entrevista também está disponível no site : Novinky.cz.

Dica e tradução : Veronica Bussadori

Faith & Devotion !!!

JeanBong13