terça-feira, 22 de março de 2022

História Do Depeche Mode : Songs Of Faith And Devotion (Album)

Hoje na História do Depeche Mode (22 de março de 1993):
Data de lançamento do album : Songs Of Faith And Devotion, no Reino Unido.




É o oitavo album de estúdio do Depeche Mode.
É a primeira vez que a banda usou uma bateria acústica em suas gravações.
Um lp inovador para a época, sendo importante para a banda, pois tem influências que vão desde o grunge ao gospel, em suas letras e ritmos, chegou ao primeiro lugar nas paradas, tanto americana, como britânica.
Lançou os singles : "I Feel You", "Walking in My Shoes", "Condemnation" e "In Your Room"
O album teve como suporte a Devotional Tour, fez tanto sucesso que acabou sendo estendida para "Exotic Tour" e "Summer Tour".



Em 1994, passou pelo Brasil, nos dias 04 e 05 de abril, no Olympia em São Paulo.
A Tourné durou 14 meses, com aproximadamente 159 shows.






Com esse álbum, o Depeche Mode chegou a ser a primeira banda alternativa britânica, a alcançar o primeiro lugar na Bilboard 200.
(A banda que chegou mais perto na época, foi o The Cure, com "Wish", e em segundo lugar).
Gary Numan, citou em entrevista próxima ao lançamento, que esse álbum abriu outras perspectivas para sua carreira, uma nova visão musical.
Estimativas afirmam que foram vendidas mais de 6.800.000 de cópias, com 1.000.000 nos Estados Unidos.
Nessa época, o sucesso da banda era gigantesco. 
Eram a segunda maior banda alternativa do mundo (perdendo apenas para o R.E.M.).






Dave: 
"Ainda é um dos meus álbuns favoritos. Parecia que estávamos tentando desesperadamente nos desafiar e romper com tudo o que tínhamos feito no Violator, que era muito controlado, muito polido, muito limpo - um álbum pop perfeito . Queríamos explodir todas aquelas coisas."

In the Fashion of Love, Time Out, April 4, 2001. Words: Omer Ali.

O que foi exatamente diferente na concepção de “Songs of Faith and Devotion” em comparação com “Violator”? Por que algo que antes tinha funcionado tão bem parou de funcionar?

Martin L Gore :
Me senti totalmente longe do resto da banda. Eu realmente não queria estar ali. 
Até aquele momento sempre nos sentíamos como “uma gangue”, então de repente eu me senti muito mal pela primeira vez. 
Eu acredito que quando nos reunimos pela primeira vez em Madrid se tornou evidente que não havia um sentimento real de unidade na banda.

Alan Wilder :
Martin fica entediado muito rápido no estúdio. Dave fica muito entusiasmado, mas não é um músico como tal, então só pode contribuir até certo ponto, e Fletch não tem nenhum papel musical. 
Martin está sempre errado no lado melódico, é um comerciante de pop, então ele se move um pouco em uma direção e eu sempre tento fazê-lo numa direção mais escura porque essa é a música que eu costumo ouvir. 
Nos encontramos no meio e terminamos com música pop que tem uma vantagem, então é mais interessante: tem mais profundidade e é melódica.
As vezes em meio à adversidade surgem os melhores trabalhos. Acho que durante esse período (gravação de Songs Of Faith And Devotion), que foi o mais difícil do grupo, tiramos o nosso melhor material. 

Martin Gore disse à revista sueca "POP" em 1993, sobre "One Caress":
O melhor de tudo que foi muito espontâneo. [O quarteto de cordas] entrei, toquei e cantei com eles ao vivo. 
Gravamos a música em três horas, geralmente todas as músicas demoram cerca de um mês. 
Não partilho a crença de que sintetizadores e samplers não são instrumentos reais, mas há algo especial com músicos, verdadeiros instrumentistas de cordas. 
Eles estudaram muitos anos para tocar os seus instrumentos. 
Senti dentro de mim que a minha música foi levada de repente mais a sério. 
Eu sei que não devia sentir-me assim. 
Mas por mais estúpido que pareça, de repente ouvir músicos "verdadeiros" que estudaram música durante anos a executar a tua música faz com que, de certa forma, pareça mais sério. 
É apenas um sentimento, mas está lá. "

Sobre a capa do álbum :
Retrata o rosto do membro da banda. 
Cada uma delas está associada com um símbolo diferente roxo colocado no seu rosto (são como digitais estilizadas).





Os mesmos símbolos também aparecem no single "I Feel You". 
Os números nos cantinhos de cada simbolo, são as datas seus aniversários.
Na capa, da esquerda prá direita em cima :
O simbolo  mais "quadrado" (1659) - Alan Wilder (01/06/1959)
O simbolo  mais "longo" (9562) - Dave Gahan (09/05/1962)
Na capa, da esquerda prá direita embaixo :
O simbolo que lembra uma “coroa” (23761) - Martin Gore (23/07/1961)
O símbolo mais "fininho" (8761) - Andrew Fletcher (08/07/1961)


Excelente álbum e tourné.
Faith & Devotion !!!
JeanBong13

4 comentários: