sexta-feira, 19 de março de 2021

História Do Depeche Mode : Violator (Album)

Hoje na História do Depeche Mode (19 de março de 1990):

Data de lançamento do álbum Violator, no Reino Unido.

Violator é o sétimo álbum de estúdio da banda inglesa Depeche Mode, lançado em 19 de março de 1990 pela Mute Records.

Precedido pelos singles "Personal Jesus" e "Enjoy the Silence" (um sucesso top 10 no Reino Unido e nos EUA), Violator impulsionou a banda para o estrelato internacional. 

O álbum rendeu mais dois singles de sucesso, "Policy of Truth" e "World in My Eyes". 

Violator é o primeiro álbum da banda a chegar ao top 10 da Billboard 200, chegando ao sétimo lugar. Foi apoiado pela World Violation Tour.

Desenvolvimento do álbum e das músicas.

Em comparação com os esforços anteriores, a banda decidiu tentar uma nova abordagem para a gravação. 

Alan Wilder disse: "Normalmente começamos a fazer um disco tendo extensas reuniões de pré-produção onde decidimos como o disco realmente soará, e depois entramos em um estúdio de programação. 

Desta vez decidimos manter todos os trabalhos de pré-produção ao mínimo. Estávamos começando a ter um problema com o tédio, na menor parte do que sentimos que tínhamos atingido um certo nível de realização em fazer as coisas de uma certa maneira." 

Martin Gore elaborou: "Nos últimos cinco anos eu acho que nós aperfeiçoamos uma fórmula; minhas demos, um mês em um estúdio de programação, etc. Decidimos que nosso primeiro disco dos anos 90 deveria ser diferente."

Com o coprodutor Mark "Flood" Ellis, Wilder começou uma relação de trabalho complementar, com Flood capaz de fornecer o know-how técnico e Wilder trabalhando nos arranjos e texturas das músicas. "Foi assim que fizemos o grupo funcionar naquela época", esclareceu Wilder, "aceitando que todos nós tínhamos papéis diferentes e nem todos tentando fazer a mesma coisa. Então acabamos com esse acordo não escrito na banda, onde todos nós reuniríamos algumas ideias no início de uma faixa. Então Fletcher e Martin iriam embora, e eles voltariam depois de termos trabalhado nisso por um tempo para dar uma opinião."

Houve também uma mudança notável nas demos de Gore. 

Após os efeitos rígidos e limitantes de demos quase acabados para o Music For The Masses, Gore, atiçando ao pedido de Wilder, manteve-os menos completos desta vez. 

Várias das gravações básicas consistiam de vocais sobre a simples parte da guitarra ou órgão, com o estranho loop de percussão, mas material menos sequenciado. 

As demonstrações esparsas permitiram que a banda tomasse liberdades criativas com as músicas. 

Por exemplo, "Enjoy the Silence" que seria como uma balada lenta e fecharia o lado B do vinil, mas por sugestão de Wilder tornou-se uma faixa pulsante e em ritmo acelerado, e abrindo o Lado B.

A banda se reuniu para trabalhar no disco com Flood na sala de programação da Mute WorldWide em Londres por três semanas depois que eles voaram para Milão para as novas sessões nos estúdios Logic. De acordo com Flood, eles não fizeram uma quantidade substancial de trabalho em Milão, exceto pela música "Personal Jesus", que foi crucial para definir o tom e o espírito do álbum. "Todo mundo estava se sentindo bem, porque eles queriam tentar trabalhar de uma maneira diferente. A ideia era trabalhar duro e festejar também e todos nós nos divertimos ao máximo." Depois de Milão, a banda se mudou para os estúdios Puk no norte da Dinamarca, onde a maior parte do álbum foi gravada.

Martin chamou a faixa de "World in My Eyes" de uma música muito positiva. "Está dizendo que amor, sexo e prazer são coisas positivas." A música Blue Dress, que Gore chamou de "Pervy", é simplesmente sobre assistir a um vestido de menina e perceber que isso é 'o que faz o mundo girar'. Com "Halo", Gore disse: "Estou dizendo 'vamos ceder a isso' mas também há um sentimento real de injustiça [...] Suponho que minhas canções parecem defender a imoralidade, mas se você ouvir há sempre um sentimento de culpa.

De acordo com Alan Wilder, a faixa de encerramento, "Clean", foi baseada em um riff de baixo ecoado da música "One of These Days", do Pink Floyd, do álbum Meddle, de 1971.

Sobre o título do álbum, Martin disse: "Nós o chamamos de Violator como uma piada. Queríamos chegar ao título mais extremo e ridiculamente heavy metal que pudéssemos. Eu vou ficar surpreso, se as pessoas começarem com as piadas.

"Antes disso, estávamos indo muito bem", lembrou Andy Fletcher. "Então, quando se tratava de Violator, inexplicavelmente fomos enormes. Foi incrível, e de muitas maneiras nunca nos recuperamos disso. Depois disso, sentimos que queríamos estragar um pouco."






Recepção crítica

Desempenho comercial.

Como sinal de sua crescente popularidade quando Violator foi lançado, uma sessão de autógrafos para os fãs, na loja de discos Wherehouse em Los Angeles que era esperado para atrair apenas algumas centenas de pessoas, acabou atraindo cerca de 20.000 fãs !

A banda foi forçada a se retirar do evento devido a preocupações de segurança, e sua falha em aparecer, gerando um certo tumulto.

Violator Promotion : https://www.youtube.com/watch?v=pL_c90zk4ik

Violator foi o primeiro álbum do Depeche Mode a vender um milhão de cópias nos Estados Unidos.

Violator alcançou o número 17 na Billboard 200 ano-final de 1990.

Lista de faixas .

"World in My Eyes" – 4:26

"Sweetest Perfection" – 4:43

"Personal Jesus" – 4:56

"Halo" – 4:30

"Waiting for the Night" – 6:07

"Enjoy the Silence" – 6:12

"Crucified" – 1:52 (hidden track starting at 4:21)

"Policy of Truth" – 4:55

"Blue Dress" – 5:41

"Interlude" – 1:23 (hidden track starting at 4:18)

"Clean" – 5:32

De acordo com o site da banda, o título original de "Waiting for the Night" era "Waiting for the Night to Fall" e o resto do título foi omitido devido a um erro de impressão.

Tanto nos EUA  e no Reino Unido, as edições originais em vinil têm uma versão mais curta de "Personal Jesus".

Edição limitada japonesa

Esta é a rara primeira prensagem japonesa do box de disco duplo Violator do Depeche Mode. 

Ele vem em uma grossa caixa de CD duplo com o livreto de letras de doze páginas, e um livreto extra com as letras em japonês de dezesseis páginas, também inclui o single "Enjoy the Silence" e calendário de imagens de quarenta páginas de 1991. A segunda edição do CD duplo foi fixada e incluiu "Enjoy the Silence" (Hands and Feet Mix) em vez do editado Ecstatic Dub Mix.

































CD 2

"Enjoy the Silence" (Single Version) – 4:17

"Enjoy the Silence" (Ecstatic Dub) – 5:54

"Enjoy the Silence" (Ecstatic Dub Edit) – 5:45

"Sibeling" (Single Version) – 3:13

"Enjoy the Silence" (Bass Line) – 7:42

"Enjoy the Silence" (Harmonium) – 2:42

"Enjoy the Silence" (Ricki Tik Tik Mix) – 5:28

"Memphisto" (Single Version) – 4:01


Relançamento / Edição De Colecionador em 2006.

Como parte da agenda de reedição de 2006 do Mute, Violator foi relançado como um pacote híbrido de CD Super Audio + DVD-Video em 3 de abril de 2006, que incluiu mixagens surround de dois canais e 5.1 do álbum. 

Os seis lados B dos singles do Violator — "Dangerous", "Memphisto", "Sibeling", "Kaleid", "Happiest Girl" e "Sea of Sin" — também aparecem, embora sem o tratamento sonoro surround. 

A reedição só chegou aos EUA em 6 de junho de 2006. A versão norte-americana não tinha o SACD híbrido e, em vez disso, tinha apenas um CD, mas o DVD foi incluído, e era idêntico ao DVD europeu, mas no formato NTSC em vez de PAL. A falta de SACD se deve aos títulos que estão sendo distribuídos na América do Norte pela Warner, que não suporta o formato SACD.

Um curta-metragem de 32 minutos intitulado Depeche Mode 1989-90 (If You Want to Use Guitars, Use Guitars) e contou com entrevistas com a banda, Daniel Miller, Flood, François Kevorkian (que mixou o álbum), Anton Corbijn (que dirigiu os videoclipes e fez a fotografia/capa do álbum), entre outros. Também inclui imagens de notícias do infame "motim" em Los Angeles, que deu publicidade à mídia da banda um dia antes do Violator sair. 

A banda estava programada para fazer autógrafos em uma loja de música de Los Angeles, e chegaram quase 20.000 fans. O evento teve que ser cancelado logo após o início devido a problemas em manter a ordem. 

Há também imagens de Strange Too, notavelmente clipes dos videoclipes de "Halo" e "Clean".

O Disco 1 é um SACD/CD híbrido com uma camada SACD multicanal, com a mesma listagem de faixas da versão de 1990. As faixas bônus estão no PCM Stereo (48 kHz/16bit).

O Disco 2 é um DVD que inclui o documentário Depeche Mode 1989-90 (If You Want to Use Guitars, Use Guitars), Violator in DTS 5.1, Dolby Digital 5.1 e PCM Stereo (48 kHz/24bit) mais as seguintes faixas bônus:

"Dangerous" – 4:22

"Memphisto" – 4:03

"Sibeling" – 3:18

"Kaleid" – 4:18

"Happiest Girl" (Jack Mix) – 4:58

"Sea of Sin" (Tonal Mix) – 4:46

























O álbum remasterizado foi lançado em vinil "deluxe" em 2 de março de 2007, na Alemanha e em 5 de março de 2007, internacionalmente.

(Poster original da época, na parede da minha loja, desde 1990) :



Excelente álbum, grandes singles !
Edições fantásticas !
Faith & Devotion !!!
JeanBong13



Nenhum comentário:

Postar um comentário