sábado, 14 de maio de 2022

História Do Depeche Mode : Exciter (Album)

Hoje na História do Depeche Mode (14 de maio de 2001) :
Data de lançamento do album Exciter, no Reino Unido.

Exciter é o décimo álbum de estúdio do Depeche Mode, lançado a 14 de Maio de 2001. 
Foi promovido pela turnê Exciter Tour, que é considerada uma das melhores tournés da banda.
Três dos seus singles, "I Feel Loved", "Freelove" (remixada por Flood) e "Dream On" atingiram primeiros lugares na US Hot Dance Club da Billboard.
É o album menos produzido da banda, bem simples mesmo, ficando a cargo do produtor Mark Bell.
Sua mais forte característica é o próprio minimalismo dos arranjos musicais e repetitividade das batidas, o que fez as músicas alcançarem um nível de simplicidade perfeito para as pistas. 
Curiosamente, a música "I Feel Loved" não foi tocada na etapa européia da turnê.
Liricamente, o álbum abrange muitos assuntos diferentes. 
Martin Gore disse que "The Dead of Night" foi inspirado por um clube em Londres onde havia muitas drogas e caos. 
Gore disse à MTV Europe que "I Feel Loved" é sobre quando você "se sente absolutamente como um merda, e você se sente o pior que já sentiu em sua vida. Então, de alguma forma, você pensa: 'o universo deve gostar de mim, por me fazer sentir assim'". 
Musicalmente, Exciter pode ser descrito como um álbum muito atmosférico e eletrônico. 
Gore havia afirmado que ele estava ouvindo música eletrônica mais abstrata até a gravação de Exciter, o que poderia ter influenciado algumas das paisagens sonoras mais experimentais do álbum. 
O grupo também frequentemente citava o produtor Mark Bell como uma grande inspiração na criação de Exciter como Gahan afirma que Mark Bell ajudou a torná-lo um vocalista mais confiante. 
Além das paisagens sonoras eletrônicas, o Depeche Mode também adicionou elementos do blues tradicional, funk retrô, rock progressivo e pop orquestral aos seus arranjos. 
Bell disse à Revista Keyboard que eles trataram os sons acústicos e eletrônicos da faixa "Dream On" da mesma forma. Gore sentiu que muitas músicas do álbum, incluindo "When The Body Speaks" têm um som dos anos 50 ou 60 para eles. "Freelove" foi uma das últimas faixas a serem concluídas no álbum.
Apesar disso, o álbum estreou em 9° lugar na Billboard.
O Brasileiro Airto Moreira, tocou percussão nas faixas : "Freelove" e "I Feel Loved".
Os singles do álbum são "Dream On", "I Feel Loved", "Freelove" e "Goodnight Lovers", essa última considerada com uma das decisões mais injustas da banda para se tornar single. 
Tanto que ela nem foi tocada em toda a Exciter Tour, mas foi lembrada na massiva Touring The Angel.
Em 2006, foi anunciado que o álbum vendeu 3.400.000 cópias.
A planta que aparece na capa é a Agave attenuata, originária do México, uma espécie de agave às vezes conhecida como "cauda de leão", "pescoço de cisne", "agave dragão" ou "rabo de raposa" por seu desenvolvimento de uma haste curva, incomum entre as ágaves.
O nome científico attenuata significa “frágil” ou “fino”.
Podendo atingir até 1,5 metros de altura e de diâmetro, chegando aos 4 a 5 metros de altura, se contarmos a inflorescência esticada.
É uma planta de tronco formado pelas folhas velhas, com interior quase lenhoso e bastante húmido. 
As folhas partem-se facilmente e revelam o carácter suculento da planta.
Junto à base e ao longo do tronco é vulgar aparecerem rebentos que se desprendem ou criam raízes a partir da planta mãe.
Tem tendência a fenecer ou mesmo morrer após ter produzido frutos.















Apesar de muitos fans não gostarem, eu acho um belíssimo disco.
Fonte : Wikipédia & JeanBong13
Faith & Devotion !!!
JeanBong13

8 comentários:

  1. Totalmente subestimado na discografia do DM. Adoro este álbum.

    ResponderExcluir
  2. Sim, um album que muitos consideram "fraco". Eu particularmente gosto muito dele, é um album "quase acústico"... lindo. Prá ser ouvido com muita atenção.

    ResponderExcluir
  3. Gosto muito de Exciter não foi um albúm que gostei logo de cara na primeira audição, mas com o tempo ele foi me conquistando, acho um albúm muito bom e digno da discografia da banda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, com certeza, é um álbum mais simples, mas é bem diferente, acho bom prá época, mostra um Depeche Mode mais intimista, na minha opinião.

      Excluir
  4. Um dos que mais ouço do DM ! Eletrônico, batidas fortes com toque sombrio às vezes!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu gosto muito também, ele é um pouco mais simples, mas realmente, não deixa de ser eletrônico e sombrio, qualidades que eu Amo no Depeche...

      Excluir
  5. Gosto muito de Exciter foi o primeiro álbum que comprei no ano em que foi lançado ou seja em 2001, eu já possuía the singles 81-85; the singles 86-98; A Broken Frame (82) e Some Great Reward (84), nesse ano (2001) além do Exciter eu comprei Speak & Spell (81); Construction Time Again (83); Black Celebration (86); 101 (89); Violator (90); Songs of Faith and Devotion Live (93) e Ultra (97), em 2002 fechei minha coleção com Music for The Masses (87) e Songs of Faith and Devotion (93), a partir daí todos os discos a proporção que foram lançados eu fui comprando
    Gosto muito desse disco, mas também não foi logo na primeira audição que gostei e sim com o tempo ouvindo repetidas vezes, foi um álbum muito importante, pois o Ultra foi o álbum que impediu que o barco afundasse, mas o exciter foi o album que colocou novamente o depeche na estrada na rota das turnês mundiais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, penso o mesmo que você em relação ao Exciter, e apesar do pessoal em geral, meter a lenha nele, é um bom disco, mesmo...
      Faith & Devotion !!!

      Excluir