domingo, 13 de março de 2022

História Do Depeche Mode : 101 (o álbum, o vhs)

Hoje na História do Depeche Mode (13 de março de 1989):
Data de lançamento do album : 101, no Reino Unido.




Filmado em 18 de junho de 1988 no Rose Bowl, Pasadena.
Para um público de 60.453 fans ! (Sold Out).


101 é filmado como um documentário, sendo pioneiro, pois contém um dos primeiros exemplos de vídeos retratando a realidade de um grupo, tanto da banda, como dos fans, que mais tarde viria a ser o conceito de um "reality show".


O dvd não contém o show na íntegra, apenas parte dele.
Porém no cd está completo o áudio do show.
O nome do album : "101" foi idéia do Alan Wilder, e refere-se ao número exato do show na tourné.
Antes desse título definitivo, chegou a ser cogitado : "Mass" e "A Brief Period Of Rejoicing" (Um breve período de alegria).
As contribuições de Wilder nas músicas 'Never Let Me Down Again', 'Black Celebration' e 'Shake The Disease', foram prodigiosas, assim como os seus arranjos em 'Just Can't Get Enough'.
Também digna de nota é a performance de 'Everything Counts', que soa poderosa e altamente eletrônica, razão pela qual foi escolhida para o encerramento dos shows, e como single promocional do álbum.
'101' é um complemento para todo o sucesso comercial do álbum 'Music For The Masses', que teve suas altas vendas e grande sucesso na América do Norte.
'101' é o primeiro álbum em que Corbijn trabalhou numa capa de album para o DM.



Na época : disponível em CD, LP e MC.
E também em VHS e Videolaser.















Um detalhe importante sobre esse show : foi a primeira vez que Dave conseguiu "sentir toda a emoção do público" em "Never let me down again", na hora da "onda com os braços ou campos de milho" (O Depeche Mode mencionou este show em muitas entrevistas ao longo dos anos, como aqui dez anos depois, para o EPK do album "Singles 86/98"), ficou realmente "sem ação" ao ver todo o público acompanhando seus movimentos no show :

Dave Gahan :

"Eram cerca de 70.000 pessoas ou algo assim, e isso era algo que estávamos muito nervosos em fazer, tocar esse grande show.

Quando realmente fizemos o show, não importava.

Não tocamos particularmente bem, minha voz se foi , deu tudo errado durante o show, tipo, pelo que achávamos que estávamos fazendo e o que achávamos que era importante sobre isso, mas não era.

Era, tipo, o evento, era o que realmente estava acontecendo lá.

É difícil para descrever, a menos que você esteja lá, assistindo ou fazendo parte disso.

Mas acho que todo mundo que estava naquele show e fez parte sentiu aquele momento.

E, você sabe, eu meio que comecei, tipo, choramingando no palco, e tentando encobrir, e ainda parecer muito machista e fazer minhas coisas.

Mas eu apenas fiquei ali por um minuto, fiquei em pé nesse grande tipo de plataforma, e eu olhei, e naquele momento, os braços de todos estavam, tipo, acenando no ar.

E eu olhei para baixo, e parece brega, mas parecia um grande campo de milho ou qualquer outra coisa balançando, e eu simplesmente parei e fiquei olhando a reação / movimento do público.

Não importava que eu estivesse cantando ou algo assim, estava apenas acontecendo.

Eu me pergunto se isso vai acontecer de novo.

E eu sentei nos bastidores, e minha esposa estava lá, Joanne, e eu sentei nesta sala, e eu lembro que comecei a chorar, eu realmente não sei porque chorar, eu estava feliz, triste, tudo ao mesmo tempo.

Eu me lembro disso, foi um momento legal.

Nós sentamos juntos, meu filho estava lá também, ele provavelmente tinha uns três meses, apenas um bebê, ele está realmente no filme.

Parece um grande alienígena, ele tem sua cabeça grande na câmera.

Todo aquele evento foi apenas uma daquelas coisas especiais, e felizmente nós o pegamos em filme.

Não dá pra ver lá, sério, eu assisto, fico arrepiado quando assisto, porque só lembro "dessa experiência", é aquela lembrança eufórica que entra em ação.

Uma combinação de tudo: nervos , ansiedade, felicidade, tristeza, o fim de tudo.

Esse foi o último show da nossa turnê também.

Então, eu diria que foi um dos momentos mais especiais dos quase vinte anos que estamos juntos, um [dos quais] não sabíamos o que ia acontecer, mas foi um momento lindo. "

 

Andy Fletcher :

"[O nome do álbum 'Music For The Masses'] vem de um álbum que Martin comprou, chamado 'Music For The Millions'.

Nós achamos muito engraçado, então 'Music For the Masses'... no final, 'Music For The Masses', porque fizemos isso, tipo, um grande show no Rosebowl, que foi o verdadeiro destaque da nossa carreira.

E, aliás, só tocamos em alguns estádios, e é como , você faz, com estádios, perder o contato com o público.

Mas naquele show em particular, o público estava conosco o tempo todo e foi absolutamente incrível. E, novamente, não foi grande apenas para nós, foi grande para a música alternativa na América."


Texto : Jean Campagner & Verônica Bussadori.

(Fonte parcial : dmlive.wiki)

Faith & Devotion !!!
JeanBong13

2 comentários: